Depressão e espiritualidade (Publicado em janeiro de 2007)

Um número cada vez maior de pessoas tem buscado os consultórios médicos e psiquiátricos a procura de receitas para a utilização de antidepressivos, comportamento cada vez mais freqüentemente realizado por uma expressiva parcela da população. Embora ninguém esteja imune à vivência de momentos mais depressivos e melancólicos, a Depressão em seu caráter psicopatológico, é um quadro que se manifesta através de episódios recorrentes que podem durar de alguns meses a alguns anos, com períodos de ‘aparente normalidade’ entre eles. Segundo a Organização Mundial de Saúde, em cerca de 20% dos indivíduos a depressão se torna crônica, especialmente quando não há tratamento adequado, havendo uma maior incidência de casos em mulheres do que em homens. O reconhecimento surpreendente de que esse quadro afeta não somente os adultos, mas também adolescentes e adultos jovens, nos leva forçosamente a pensar e refletir sobre as possíveis causas para o ‘mal de nosso século’, que se tornou uma das mais freqüentes enfermidades da Psiquiatria.

Mas o que está por detrás do surgimento de um quadro que se torna cada vez mais alarmante do ponto de vista do bem-estar do indivíduo? A Depressão pode ser entendida enquanto um sintoma em si mesmo ou enquanto um quadro de características bastante específicas. As explicações para suas origens têm impulsionado médicos e psicólogos a buscarem o entendimento de um quadro que muitas vezes desafia nossa capacidade de compreensão. As teorias explicativas existentes falam de dois tipos de Depressão: a Depressão Endógena, cujas causas são ‘desconhecidas’, provavelmente de ordem constitucional, biológica ou hereditária; e a Depressão Exógena, cujas causas são ‘conhecidas’, de natureza ambiental e familiar. Outros pesquisadores afirmam que as origens da Depressão se encontram na conjugação de todos esses fatores, isto é, na presença de uma predisposição orgânica, possivelmente de caráter hereditário, aliada a situações ambientais e dinâmicas familiares específicas. Independentemente das possíveis causas apontadas, os cuidados médico-psicológicos necessários se tornam absolutamente fundamentais, se levarmos em consideração que  cerca de 15% a 20% dos pacientes depressivos tentam o suicídio, conseguindo muitos deles, tragicamente, o objetivo de porem um fim às suas vidas.

Os aspectos orgânicos e psicológicos da Depressão têm sido incansavelmente estudados e pesquisados por parte da comunidade científica médico-psicológica, todavia, segundo os espiritualistas, para que possamos ter um entendimento mais profundo e completo das origens da Depressão, é imprescindível que as causas de ordem espiritual sejam levadas em consideração. Profissionais que trabalham com Terapia de Vidas Passadas, ou TVP, afirmam que a compreensão dos mecanismos causadores da Depressão envolve não somente as predisposições hereditárias e as causas psíquico-ambientais, mas também conceitos como Karma e Re-Encarnação. O conceito de Reencarnação afirma que os indivíduos vivem múltiplas existências, tantas quantas forem necessárias, para que possam se desenvolver e evoluir plenamente. Já o conceito de Karma significa ‘ação e reação’, ou a ‘Lei de Causa e Efeito’, onde o indivíduo colhe no presente os resultados positivos ou negativos das ações praticadas em vidas passadas.

A multiplicidade de existências e a ‘colheita’ dos resultados das ações praticadas, são conceitos que se apresentam enquanto a base para o trabalho terapêutico realizado com a Terapia de Vidas Passadas, onde o paciente é levado a re-memorar, através de técnicas de regressão, os fatos ocorridos em existências anteriores que continuam a influenciar emocionalmente a vida atual do indivíduo. Em alguns casos, a Depressão experienciada pelo paciente, estaria associada a traumas ou experiências de alto impacto emocional vivenciados em vidas passadas, que em conjunto com uma série de ‘fatores do presente’, possibilitariam as condições para o surgimento dos quadros depressivos. Profissionais renomados como o Dr Brian Weiss, médico formado na Columbia University, revelam que obtiveram diversos resultados positivos na cura da depressão e de outras enfermidades psíquicas, auxiliando seus pacientes a superar as dificuldades do presente, através do acesso às memórias de vidas passadas. Nesse sentido, o que torna a abordagem terapêutica da Depressão segundo o enfoque da Terapia de Vidas Passadas tão única, diz respeito à percepção da realidade humana como intrinsecamente vinculada às questões mais abrangentes de ordem espiritual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *