Lilith em Sagitário (14 fevereiro) – Nossos Ideais e Verdades Internas em Foco

O significado de Lilith ou a Lua Negra ainda é bastante controverso e envolto em muito de seu próprio mistério. Essa ilustre desconhecida foi a primeira mulher criada pelo Sagrado Supremo. Detentora de uma força feminina indomável em sua própria natureza, Lilith acreditava que deveria ser tratada como uma igual, e em sua revolta contra a supremacia masculina de Adão, ela o abandona. Em sua solidão Adão roga ao Supremo por uma companheira e Eva é criada como seu segundo par. Ambos permaneciam no paraíso ainda inconscientes de sua condição humana, até que Lilith ou a energia da Serpente Kundalini, surge como aquela que vem despertar o conhecimento da sexualidade. E o mundo nunca mais foi o mesmo… E tudo o que veio depois disso conhecemos muito bem o que foi, pois lidar com o desejo e os impulsos do sexo de forma harmoniosa, ainda tem sido um dos maiores desafios da humanidade.

Portanto o significado simbólico e astrológico de Lilith corresponderia ao “pecado cometido em nossa última encarnação, quando caímos em tentação e nos deixamos seduzir”. E não falo isso sob um ponto de vista punitivo ou coisa que o valha, mas em um sentido meramente iniciático e vibracional. Em sua vida passada o indivíduo cumpriu o arquétipo da casa onde Lilith está situada em seu mapa, mas de uma forma deturpada, necessitando na presente encarnação superar os desafios propostos por tão poderosa energia, sendo necessário transformar o karma em redenção, caso contrário estará presente uma tendência a se repetir o mesmo padrão pela presença da culpa e do medo. Qualquer Lilith representa um aspecto desafiador e nenhuma é pior ou melhor que a outra. Lilith é a Lua em sua trajetória elíptica em torno da Terra, que ao passar deixa atrás de si um vácuo ou vazio virtual, catalogado através de experimentos astrológicos, e que naquele espaço vazio e escuro, não iluminado, reside sua influência. Esta ausência de luz pode ser interpretada como uma área da consciência obscura e pouco acessível, e por esse motivo ela pode denotar o poder de materializar, bestializar, corromper, perturbar, falsear, deformar e viciar a casa específica do mapa de cada indivíduo onde ela se situa.

Mas falando de um aspecto mais geral em termos de Humanidade e sua evolução, Lilith ao entrar no dia 14 fevereiro 2017 em Sagitário, obrigará todos os seres a se defrontarem com a veracidade de seus ideais, com a busca de seus caminhos filosóficos que possam estar sendo materializados ou não, com a procura espiritual em si mesma em um sentido concreto e cotidiano do termo. Ela vai colocar em cheque nossas verdades interiores e os caminhos que escolhemos para nossa evolução, bem como tudo aquilo que promove a conexão com o Sagrado. “Falsos ídolos, falsos profetas e falsos ideias” muito provavelmente terão seus dias contados, pois ela representa a face sombria do astral denso que se projeta na terra, mas que só entra através das portas que estão abertas, isto é, quando desavisadamente nos deixamos seduzir por aquilo que precisaria se tornar luz, deixando de ser a sombra que nos atormenta.

Mais do que nunca o encontro com nossa verdade interna mais profunda se faz fundamental e de uma maneira urgente! As ‘máscaras’ que precisam ser removidas, a Persona que será desnudada, processos frequentemente bastante dolorosos, mas que com toda a certeza nos conduzirão a saltos quânticos de beleza impressionante! Seremos não só as testemunhas mas os integrantes ativos de toda essa força universal que se fará presente. Com toda a certeza momentos de grande impacto para a humanidade estão para começar!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *