OBSESSÃO E LIBERTAÇÃO: superando as amarras que nos prendem às dores passadas

obsessão 5Recentemente promovi um encontro onde a temática de minha palestra foram os mecanismos obsessores espirituais, suas causas e formas de superação. Como não podia deixar de ser, pela simples natureza do tema em questão, debates bastante profundos foram trazidos à tona por seus participantes, permitindo um aprofundamento em um foco de estudos extremamente controverso e que dificilmente pode ser esgotado num espaço de apenas duas horas. Mas dentro do possível busquei traçar um panorama mais amplo e geral de uma área de conhecimento que simplesmente me fascina, e com a qual tenho procurado lidar em termos bem pessoais desde muito jovem. Sim! É verdade! Como médium que sou, estive às voltas com esses processos desde tenra idade, e para minha agonia naquela época, sem ter a mínima noção do que estava acontecendo. Minha perplexidade diante de fenômenos tão estranhos para mim, viria a ser melhor compreendida somente muitos e muitos anos mais tarde, quando já estava exercendo meu papel espiritual nesse mundo, e já fazendo parte de grupos vários de estudos e práticas.

Mas quais as razões para algo que a princípio pode parecer tão cruel ocorrer? Somos simplesmente marionetes nas mãos de seres invisíveis aos nossos olhos, mas tão reais quanto o dia? E posso dizer hoje com toda a certeza que não é bem assim que acontece. Não estamos à mercê de atos de crueldade e tormento por razões aleatórias. Tudo isso faz parte de dramas que tiveram seu início em vidas pretéritas e que na verdade, buscam uma solução final de encaminhamento. E seremos co-criadores dessa história aparentemente sem fim (sim, porque enquanto ela ocorre é o que sentimos!), até que de uma forma incrivelmente mágica e misteriosa, um “click interno” se dá, e nos perdoamos, e não sentimos mais culpas inconscientes, e nossos algozes ou compreendem e nos perdoam também, ou são afastados pela Justiça Divina que nunca e NUNCA MESMO deixa de se materializar no tempo certo.

Os fenômenos obsessores acontecem porque uma espécie de ‘círculo vicioso’ se faz, quando no passado nós e muitos seres estivemos envolvidos em relacionamentos nada saudáveis e de grande prejuízo emocional, quando não financeiro, espiritual e familiar também (e muito frequentemente todos esses aspectos juntos). Prejudicamos alguém que se tornou nosso desafeto e muitas vezes adversário ferrenho, jurando uma espécie de vingança que não só nos aprisiona pelas nossas culpas cármicamente inconscientes, mas também pela ignorância do quanto eles mesmos sofreram certas coisas ‘na carne’ num dado momento, por terem sido autores de dramas pessoais alheios bastante graves, mas que de nada lembram. E sendo assim, numa Roda da Justiça Divina, sofrem as consequências de atos pretéritos praticados, mas dos quais por não guardarem a menor lembrança, se sentem no direito de fazerem ‘justiça com as próprias mãos’, numa situação que na verdade coloca a todos na posição de vítimas prisioneiras de um círculo vicioso sem fim, que frequentemente se perpetua ao longo de séculos pela presença de uma absoluta ignorância espiritual à respeito dos mecanismos responsáveis pela Vida.

Mas qual a solução e saída viável para isso? E existe sim, um caminho e um novo amanhã para além de tanto sofrimento. E falo isso com profundo conhecimento de causa, por já ter passado por tanta coisa que precisaria não de um livro, mas de uma enciclopédia inteira para relatar. E nesse momento termino esse texto, ao menos por enquanto, com uma mensagem que escrevi e que encerrou aquele encontro. Algo que brotou como fruto de minhas experiências recentemente vivenciadas e que embora permeadas de grande dor, me trouxeram um crescimento que jamais poderia imaginar.

“Somente o amor cura. Somente o amor salva. Somente o amor resgata as almas enfermas. Somente o perdão reconduz a trilha do equilíbrio, da possibilidade plena de evolução e da libertação de jugos milenares.

Vocês podem dizer que não é nada fácil. E não é. Mas é possível. É a única chance viável para que possamos seguir adiante rumo ao mais infinito de nós mesmos. Rumo às estrelas onde nossos Irmãos Luminosos nos aguardam! Onde uma Vida absolutamente indescritível nos espera.

Que essa centelha de esperança possa se tornar nossa realidade presente e nossa criação futura!”(Monica Cristina Guberman)

 

4 Responses so far.

  1. Nanci Gomes disse:

    Magnífica experiência compartilhada Mônica! A expressão “click interno” ficou aqui no meu pensamento…
    Tenho refletido muito nesse último mês sobre esse processo do perdão, sobre auto perdão e o perdão para terceiros. Sempre senti um sentimento de culpa, sem explicação, como você cita no texto “culpa inconsciente”, algo que não me deixava viver com alegria, ter leveza, sentimento que interferia até na minha autoestima.
    Durante esse processo, que ainda não terminou, percebi que exigiu certo silêncio dentro de mim, uma interiorização muito maior, ao mesmo tempo em que aflorou sentimentos mais intensos, sentimentos verdadeiros, bons, que eu não sentia há muito tempo. Até vontade de escrever sobre o perdão eu senti, mas não me atrevi ainda, rs…

    • Nanci querida bom dia!

      Fiquei super feliz com sua mensagem! Tenho certeza que vc vem caminhando através de um processo de auto descoberta incrivelmente bonito e florescente. O caminho só pode ser esse mesmo! Reflexões que vão surgindo com cada vez maior intensidade e propriedade. Me sinto extremamente realizada em ver o quanto vc cresceu em todos os sentidos!

      Beijos no coração querida e conte comigo!

  2. Querida amiga, realmente foi mais um encontro maravilhoso,com uma temática onde todos estamos inseridos. Somente enfatizando algo que voce mesmo descreveu. Durante meu trabalho como constelador, fica muito nítido que, qualquer transmutação que seja necessário realizar, somente quando é realizado com amor o resultado pertura e se concretiza, ou seja, para lidar com o carma, o “Amor” é o único e mais valioso recurso que temos. bj grande.

    • Amigo Aluísio, como sempre super grata pelos seus comentários!

      Vc tem toda a razão em tudo o que coloca. E posso dizer que quanto mais entro em contato com o ser humano e suas especificidades, mais me encanto com as ‘dobras que a mente dá’, trazendo para todos nós uma capacidade infinita de nos sentirmos tão privilegiados por sermos tão humanos.

      Beijos no coração querido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *