PAIXÃO E AMOR, OS SABORES AVASSALADORES DA VIDA

engrenagens do amorHoje quero falar sobre uma das temáticas que mais fascina, transtorna, transborda e muitas vezes confunde mentes e corações humanos: a paixão e o amor. Serão eles iguais em sua essência e manifestação? Claramente posso dizer que não. Sentimentos fortíssimos que movem a humanidade, mas que se formos olhar com muito cuidado (e não só olhar mas sentir), tem o poder de nos levar para destinos bastante diferenciados e cujas repercussões em nossas vidas materializam nosso destino enquanto co-criadores com o Divino.

Mas o que é a paixão? O que é o amor? Nem todas as palavras possíveis são capazes de descrever em sua completude e finalidade o que representam sentimentos tão avassaladores. A paixão nos toma por completo e chega tal qual um tsunami ou terremoto e nos toma por inteiro, entorpecendo os sentidos, tirando o raciocínio, toldando nossa visão para qualquer outra coisa que não seja o nosso objeto de desejo. Ela invade o espírito, o corpo, a alma, transtornando toda e qualquer racionalidade, invertendo as polaridades e prioridades. Ela encanta, fascina e nos faz sentir que somos capazes de qualquer coisa na vida. Nos tornamos poderosos, invencíveis, capazes de lutar por tudo e qualquer coisa. A paixão nos mistura e fusiona com o Outro Ser, num estado absolutamente simbiótico de co-existência, onde os limites entre o “EU” e do “OUTRO” se perdem em frações de segundo. Quem já viveu isso sabe muito bem do que estou falando.

Mas a paixão da mesma forma que veio, pode se esgotar em si mesma, permitindo aos amantes seguirem novos rumos tão logo ela fenece e sucumbe ao quotidiano. Ou ela pode enquanto energia estimuladora de chakras básicos, subir e ascender para um chakra mais elevado, o chakra cardíaco, e se tornar AMOR. E o amor é totalmente diferente da paixão, embora a imensa esmagadora maioria da Humanidade pense que são as mesmas coisas. Mas definitivamente não são. Compete ao amor nos trazer a percepção de que o “EU” e o “OUTRO” são diferentes e diferenciados, Consigo perceber o meu objeto não mais como somente de desejo, mas de existência própria. E por ele sou assim percebido também. Uma dança que se faz a dois de uma forma magnificamente respeitosa para com a individualidade de cada parceiro. E posso dizer que estar apaixonado é uma delícia, mas poder amar é ainda muito melhor! Pois o ato de amor trás calma, serenidade, centro, equilíbrio e um sentido de plenitude em que podemos sentir os Universos manifestos na Terra.

Paixão e amor, cara e coroa da mesma moeda humana. Parceiros indissolúveis de nossa experiência terrena não apenas enquanto relacionamentos, mas enquanto tudo aquilo que venhamos a desejar construir na vida. Combustíveis para uma jornada infinitamente mais interessante, onde imprimo a minha vontade de me tornar aquilo que sempre fui: UM SER DIVINO EM LUZ NESSA EXISTÊNCIA!

BOM DIA!!! Um lindíssimo dia a todos! E que a paixão e o amor pela Vida sejam nossos mantras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *