Relações Familiares: a difícil (mas não impossível) arte de superação dos desafios “escolhidos”.

familia 5Começo meu texto colocando a palavra “escolhidos” entre aspas de uma forma absolutamente intencional. E vou explicar o porquê. Ouvimos muito frequentemente de algumas pessoas expressões como “não pedi para nascer”, “não escolhi meus pais”, “não faço parte dessa família”, entre tantas outras afirmações de caráter até certo ponto bastante vitimizador. E posso dizer com toda a certeza que não existe nada mais longe da verdade. Escolhemos sim a nossa família (tanto a de origem quanto a que iremos formar) além de muitas outras pessoas importantes que irão fazer parte de nossa jornada, e que surgirão no momento certo e mais do que adequado, tornando-se a base de nossa evolução em muitos aspectos. Dentro de uma linha de raciocínio espírita-espiritualista, o planejamento dos detalhes associados ao nosso nascimento ocorre de uma forma altamente cuidadosa e feita com muito discernimento nos Mundos Espirituais. Esse processo é feito sempre levando-se em consideração a bagagem que temos que trazer para uma nova vida, e que será nosso ponto de apoio e partida para um aprimoramento de nossas melhores qualidades e superação de nossos desequilíbrios pretéritos.

O processo de evolução espiritual é lento e nele vamos gradualmente aumentando nosso grau de consciência e ganhando mais luz à medida que passamos a compreender melhor quem somos e qual o nosso destino a ser cumprido. Muitas e muitas vidas serão necessárias para que possamos chegar a um ponto em que a volta para essa dimensão terrena de existência não seja mais a única forma pela qual iremos subir degraus e alcançar oitavas de evolução acima, numa escala musical divina onde o ‘diapasão’ que nos afina enquanto instrumentos são as ‘mãos invisíveis’ que amorosamente conduzem nossas vidas. Num dado momento da eternidade, a Roda de Sansara, ou processo contínuo de reencarnações, deixa de ser o paradigma através do qual iremos evoluir. Mas até que isso aconteça, será dentro da família que iremos “reencontrar” algumas pessoas queridas, mas principalmente alguns desafetos com os quais teremos que nos acertar. De uma maneira ou de outra. E preferencialmente por amor. E por compartilharmos com essas pessoas antigas histórias de situações de abandono, ódios e desavenças, será de uma maneira geral com eles com quem muitas vezes teremos maiores dificuldades nos relacionamentos do dia-a-dia. Mas também será ali onde se encontrará nosso maior palco de possibilidades de evolução e os gigantescos ‘saltos quânticos’ para nossa libertação final. Sendo assim, nascemos em núcleos familiares específicos cujas características e propósitos estarão alinhados às demandas de nosso espírito para que os resgates a serem feitos aconteçam com altas doses de fé e uma perseverança inquebrantável para que não percamos tão preciosa oportunidade, que muitas vezes nos éons divinos poderá demorar bastante a acontecer novamente.

Tudo isso pode parecer um roteiro do tipo “Missão Impossível”, mas tenho por experiência própria a perfeita noção de que não o é. E na minha humilde opinião o que tanto pode ajudar, mais uma vez, e sem querer me tornar repetitiva, serão os caminhos do autoconhecimento e da espiritualidade, ambos exercidos com altas doses de consciência e entrega emocional. Somente assim o impossível poderá se tornar viável, e finalmente como pássaros cujas asas se abrem rumo ao infinito, poderemos voar em liberdade para destinos com certeza muito mais luminosos. Libertos dos grilhões de karmas passados, poderemos seguir finalmente rumo a dimensões espirituais diferenciadas onde tão cansativo e doloroso processo reencarnatório não mais será necessário. Aproveitemos então as oportunidades que nos são dadas, esperando sempre o melhor para nosso crescimento, com a certeza inabalável de que a Vida deseja o melhor para todos nós.

 

4 Responses so far.

  1. Nossa!!!! maravilhoso texto. Me sinto privilegiado em fazer parte desse cíclo evolutivo e muito feliz por saber que as pessoas que me cercam, de uma certa forma, foram escolhidas por mim em um nível cem porcento consciente antes desta reencarnação, para fazerem parte dessa minha evolução.

  2. Queila Cristina Leal Garcia disse:

    Muito lindo, você sabe exatamente o que precisamos ouvir. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *