Academia de Estudos Holísticos

Assine nossa newsletter e ganhe um e-book exclusivo:

5 terapias que combatem a depressão.

Academia de Estudos Holísticos

SUPERANDO O LUTO E AS PERDAS E SEGUINDO ADIANTE

19/01/2015

flor na rachaduraNão podemos ter muitas certezas na vida, mas um fato sobre o qual não podemos duvidar é que em algum momento de nossas jornadas perderemos algo ou alguém. E se fosse em algum momento no singular apenas estaria muito bom, pois na verdade esse fato tão desconcertante e doloroso se repetirá inúmeras vezes e frequentemente da forma mais inesperada ao longo dos anos. Nada mais devastador do que situações de perda de um ente amado ou de uma situação que nos trás conforto, alegrias e a tão necessária segurança emocional e material. A partir desse momento nosso cérebro numa atividade frenética e enlouquecida nos faz perguntar sem parar questões do tipo ‘porque isso tinha que acontecer? porque justo comigo? fiz tudo o que podia para evitar?, agravando ainda mais a nossa dor.

Os sentimentos de extremo pesar existem pela nossa constituição humanamente frágil por um lado e vibracionalmente forte por outro. Em nossos envolvimentos e interações emocionais produzimos aquilo que chamamos de ‘cordões energéticos de ligação’ responsáveis por permitirem as trocas significativas com outros indivíduos. A morte em um sentido espiritual corresponde na verdade ao momento em que nossa alma se desprende do corpo físico e o ‘cordão de prata’ responsável perla conexão entre a matéria e o estado mais sutil do ser é rompido em definitivo. Esse momento tão marcante e inexorável de nossa história permite que o espírito possa seguir o destino que lhe cabe, reservado pelas afinidades espirituais alimentadas ao longo de sua vida terrena. O rompimento do ‘cordão de prata’ e a consequente partida do ser em sua viagem espiritual, vai provocar como uma consequência o rompimento dos cordões que antes sustentavam as ligações entre o indivíduo que ainda se encontra encarnado e o ser que ‘partiu’, já que essas conexões não terão mais como serem mantidas material e vibracionalmente falando. Quando isso acontece sensações de dor física e emocional surgem às vezes de uma maneira mais amena, por vezes de uma forma insuportável, lançando o indivíduo em um estado de luto (ou o processo de resolução das perdas) que vai perdurar por algum tempo.

O luto pode ser vivenciado de uma forma “normal” em etapas psiquicamente saudáveis, ou de uma forma mais patológica, e quando isso acontece se fazem necessários cuidados médicos e psicológicos, sem os quais o indivíduo não conseguirá por vontade própria, retornar ao convívio em sociedade e aos seus afazeres quotidianos. Usualmente o ser enlutado vai passar por um período de isolamento e afastamento social, perda de interesse pelo mundo exterior, uma dificuldade em acreditar que a vida segue, a sempre constante sensação de que nada mais tem sentido e a falta de perspectiva de futuro. Idealmente falando esse período aos poucos vai se dissipando e as feridas abertas cicatrizando. As lembranças se tornam saudades, a dor se converte em esperança, a escuridão de alma se deixa inundar pela luz e quando menos se espera a perda tão dolorosa se torna o adubo para uma nova vida. Falando assim parece fácil mas sabemos muito bem que não é. No entanto o ser humano em sua infinita capacidade de se reinventar e reconstruir, quando busca e consegue aceitar o sentido oculto de tudo isso, passa a sentir o ser amado ‘perdido’ como não mais fazendo parte de sua vida diária, mas habitando seu coração tal como um Anjo da Guarda sempre presente no mais profundo e íntimo de si mesmo. E essa ‘presença’ onde quer que se encontre, estará com certeza torcendo de uma forma muito bonita para que possamos seguir sempre adiante.

10 Comentários

  1. Por Philipe em 19 de janeiro de 2015 às 12:02

    Que lindo esse texto Monica! Tenho certeza que esse texto irá confortar o coração de muitos que passam por um momento difícil como esse.
    Super beijo!

  2. Por Monica Cristina Guberman em 19 de janeiro de 2015 às 12:14

    Gratidão Philipe! Que assim seja pois todos nós sabemos o quanto é difícil passarmos por isso. Beijos em seu coração!!

  3. Por fabricia em 20 de janeiro de 2015 às 21:49

    Quando passamos por uma situação dessas
    achamos que o mundo acabou, digo isso por experiência própria., perdi meu pai quando tinha 15 anos,
    hoje tenho 35. Mas acredito tbm que nada acontece por acaso, e tudo tem uma razão de ser…Parabéns Mônica,

  4. Por Monica Cristina Guberman em 20 de janeiro de 2015 às 23:22

    Fabrícia muito grata por sua mensagem! Fico feliz de verdade em poder responder a você. Vc tem toda a razão quando diz que a sensação é de que nunca mais sairemos dessas sensações tão fortes de perda. Mas a gente de alguma maneira segue em frente sim. As saudades permanecem mas vamos nos sentindo mais serenos e confiantes de que tudo tem uma razão de ser.

    Beijos no coração querida e muita luz em seu caminho!

  5. Por Aluísio em 21 de janeiro de 2015 às 12:10

    Querida Mônica, aceitar o rompimento desse cordoes é de grande sabedoria, mas sabemos tb que o momento de luto tb é necessário, é respeitar a si próprio. Estamos sempre evoluindo através dos seus textos. Gratidão minha amiga.

  6. Por Monica Cristina Guberman em 21 de janeiro de 2015 às 12:21

    Sim Aluísio tudo tem seu tempo perfeito de acontecer! Há um momento em que precisamos nos permitir viver o processo de luto e há um momento em que precisamos seguir em frente. A sabedoria está em sabermos discernir cada coisa em seu tempo certo. Eu é que cada vez mais sou grata por estar em contato com seres lindos como vc em minha jornada! Beijos amigo querido!

  7. Por Thais em 21 de janeiro de 2015 às 15:32

    Um abraço carinhoso da Thais Martins

  8. Por Monica Cristina Guberman em 21 de janeiro de 2015 às 16:48

    Thais querida um beijo afetuoso em seu coração! Muito grata pelo carinho!

  9. Por Estela em 30 de janeiro de 2015 às 15:48

    Monica,
    O tempo é sempre o senhor do destino nos fazendo aceiar, por mais doloroso que seja, todas as condições impostas e que não faz parte de nossas escolhas…semear o amor e aceitar o próximo com todas suas limitações sejam elas fisicas, emocionais ou espirituais, na hora da perda nos faz estar em paz contigo, o ente querido que se foi e o universo…nos permitindo chorar nosss perdas edepois a saudades estar presente em nossas lembranças.

    Um grande abraço

  10. Por Monica Cristina Guberman em 30 de janeiro de 2015 às 17:09

    Estela toda a minha gratidão por sua mensagem!

    Com certeza o Tempo trás a cura para muitas de nossas feridas. E isso acontece quando de alguma forma trazemos um grau de compreensão, aceitação e consciência ampliada para o que nos ocorre.Devemos sempre manter em mente o quanto é importante vivermos bem com todos os que nos cercam, com nossos entes queridos, pois quando eles se vão essa paz que vc menciona passa a habitar nossos corações, na certeza de que vivemos tudo aquilo que foi necessário. Bjs em seu coração querida!

Gostou? Deixe seu comentário.

« Artigo Anterior

PAI, MÃE E FILHO: ASPECTOS KÁRMICOS E EMOCIONAIS NA RELAÇÃO TRIANGULAR

Próximo Artigo »

SUPERANDO O LUTO E AS PERDAS E SEGUINDO ADIANTE